poeta Severino Milanês Silva – Síntese biográfica

Severino Milanês Silva (1906 -1956 ou 1967)

Severino Milanês da Silva é natural de Bezerros, Pernambuco. Ficou conhecido como poeta popular, cantador, repentista e romancista. Da sua morte, sabe-se que faleceu no município de Vitória de Santo Antão, entretanto, há controvérsia quanto ao ano chegando a ser uma diferença de 11 anos: 1956 ou 1967.

De acordo com Benjamim, no site Casa de Rui Barbosa, “….produção  é bastante diversificada. É autor do Forte Pernambucano, escrito na década de 40, um marco, gênero de poema mais longo realizado pelos poetas de gabinete, aqueles  que só escreviam e em geral, não eram cantadores, ampliando ainda  mais seu campo de ação, já  que possuía fama  de grande repentista e glosador”.

Como romancista, ele imortalizou alguns na memória dos seus admiradores especialmente os que escolhiam as histórias de amor, de príncipe e princesa e reinados fictícios.

Conforme o texto do blog Jornal de Besta Fubana de Luiz Berto reiterado pelo de Carlito Lima:Milanês não era muito cuidadoso com a geografia nem com a história. Vez por outra abusava da “licença poética” na composição de seus romances, que às vezes beiram o surrealismo, mistura gênios e fadas com índios guerreiros e gigantes desaforados que chamam o herói de “cabrinha” e outros xingamentos tipicamente nordestinos no auge da luta”.

 

 A greve dos bichos

 Muito antes do dilúvio

Era o mundo diferente

Os bichos todos falavam

Melhor do que muita gente

E passavam boa vida

Vestido de Marinheiro

 

O cachorro era cantor

Gostava de serenata

Andava muito cintado

De colete e de gravata

Trabalhando honestamente.

 

O diretor dos Correios

Era o doutor Jaboby

O fiscal do litoral

Era o matreiro Siry

Que tinha como ajudante

O malandro do Siry.

O rato foi nomeado

Para chefe aduaneiro

Fazendo muita “moaba”

Ganhando muito dinheiro

Com o Camundango  ordenaça,

Passava a noite na rua

Mais o Besouro e a Barata

  O príncipe do Barro Branco

 O Reino do Barro Branco

É detrás de uma colina

Cercado por quatro rios 

De água potável e fina

Fica nos confins da Ásia

Bem perto da Palestina

 

História de Valentão do mundo;

Valentão do Mundo é

Conhecido na história

Venceu e não foi vencido

Teve consigo esta glória

Em toda luta trazia

O triunfo da vitória.

 

Nas caçadas enfrentava

As mais temerosas lutas

Subjugava nas serras

As feras absolutas

Pegava onça nas furnas

Matava dentro das grutas.

 

  O príncipe do Barro Branco

 

 O Reino do Barro Branco

É detrás de uma colina

Cercado por quatro rios 

De água potável e fina

Fica nos confins da Ásia

Bem perto da Palestina

 

 História de Valentão do mundo

 Valentão do Mundo é

Conhecido na história

Venceu e não foi vencido

Teve consigo esta glória

Em toda luta trazia

O triunfo da vitória.

 

Nas caçadas enfrentava

As mais temerosas lutas

Subjugava nas serras

As feras absolutas

Pegava onça nas furnas

Matava dentro das grutas.

FONTES CONSULTADAS

SEVERINO Milanês Silva. Peleja de Pinto e Milanês, um clássico do cordel. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: <http://www.luizberto.com/mala-da-cobra-arievaldo-vianna/peleja-de-pinto-e-milanes-um-classico-do-cordel>. Acesso em: 27 out. 2014.

BLOG do Carlito Lima. Severino Milanês Silva. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: . Acesso em: 27 out. 2014.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s