Arquivo da tag: Mauro Machado

Poeta Mauro Machado – Síntese biográfica

Mauro Machado (21/12/1982)

O poeta e cordelista Mauro Machado, que é membro fundador da União dos Cordelistas de Pernambuco (Unicordel), nasceu em Brasília, Distrito Federal, no dia 21 de dezembro de 1982. Reside no Recife desde 1990 e herdou o gosto pelo(s) verso(s), do poeta popular paraibano, seu avô Mauro Ananias da Costa.

Autor de vários folhetos, dentre eles: A história junina de Quincas e seus dois amores ou O dia em que Recife juntou duas bandas de um coração (Recife: SEC, 2007).

“Oh, que os três santos juninos,
Me deixem aqui versar
Sobre um amor verdadeiro,
Que eu acabei de escutar,
Que veio do interior,
Mas, por ser grande o amor,
No Recife foi parar.
Quincas de Mané Zoião,
Um cabra-macho-da-peste,
Caboco trabalhador,
D’uma cidade do Agreste,
Homem de bom coração,
Que sempre fez oração,
Para nossa mãe celeste,
Tinha o coração partido,
Metade dele batia
Pela sua bela noiva,
Que uma santa parecia.
Rosinha era uma beleza,
Era um poço de pureza,
E de Quincas a alegria.
[…]”.

 

FONTES CONSULTADAS

MACHADO, Mauro. O Nordeste: enciclopédia Nordeste. Disponível em: <enciclopediaNordeste/index.php?titulo= Mauro+Machado<r=m&id_perso=1391>. Acesso em: 14 de nov. 2014.

______. A história junina de Quincas e seus dois amores ou O dia em que Recife juntou duas bandas de um coração. Recife: SEC, 2007. Disponível em: <bib=Cordel&PagFis=80412>. Acesso em: 14 de nov. 2014.

Poeta Mauro Machado – Produção Literária

A boa prosa em verso

A boa prosa em verso: (ou a vida de José Lins do Rego versada em cordel)

A discussão de Cleydson Monteiro com Mauro Machado

A história junina de Quincas e seus dois amores ou o dia em que o Recife juntou duas bandas de um coração

A peleja virtual de Paulo Dunga com Mauro Machado

As mais de 100 mortes de filotéia: (ou a história do fim do morre-não-morre de uma hipocondríaca)

Édipo Rei do sertão

Édipo Rei do sertão: folheto I: a praga do destino

Édipo Rei do sertão: folheto II: o fim do tormento

Édipo Rei do sertão: folheto III: os caminhos se cruzam

Édipo Rei do sertão: folheto IV: o ato derradeiro

O defunto pirangueiro e a viúva esperta: ou só se leva dessa vida a vida que se leva

O duelo cibernético de José Honório e Mauro Machado

O encontro do capitão Nascimento com lampião no inferno: (ou O dia infernal do embate osso duro de roer)

O encontro do fã com o ídolo

O exemplo do ladrão de galinha que findou botando um ovo

O exemplo do Padre pedófilo capado pelo diabo

O explorador do congo: (ou a fantasia de Seu Biu Peba e o Gorila Frevador)

O fim do Recife

O matuto no Shopping

O pife encantado: (ou A esperteza d’um caboclo que vendia felicidade)

Saudade

Saudades eternas do poeta Mauro Ananias