Arquivo da tag: José Pacheco da Rocha

Poeta José Pacheco da Rocha – Síntese biográfica

José Pacheco da Rocha (1890 – 27/04/1954)

Além de poeta popular bastante fecundo, caracterizado pela jocosidade e variedade de temas de suas composições, dedicou-se a várias atividades paralelas: trabalhou em feiras, ora vendendo folhetos, ora comerciando gêneros alimentícios.

Segundo Átila de Almeida e José Alves Sobrinho, em seu Dicionário Biobibliográfico de Repentistas e Poetas de Bancada Volume 1 publicado em 1978 pela Editora Universitária de João Pessoa – Paraíba, “José Pacheco da Rocha nasceu em 1890, em Porto Calvo, Alagoas e faleceu no dia 27 de abril de 1954, acidentado”. Os autores não especificam as causas do acidente. As informações sobre a vida do grande poeta são escassas e cheias de controvérsia. Há quem afirme que ele era pernambucano de Correntes. Segundo José Costa Leite, que o conheceu pessoalmente no final da década de 40, na feira de Itabaiana, Paraíba, Pacheco era um camarada alegre, brincalhão e irreverente. Era acaboclado, de estatura mediana, e tinha um braço mais grosso que o outro. Gostava de trajar terno branco e promovia verdadeiros espetáculos recitando seus poemas nas feiras nordestinas.

Os grandes poetas do presente e os pesquisadores que realmente entendem de literatura de cordel consideram José Pacheco um dos grandes pilares da trindade máxima do cordel, ao lado de Leandro Gomes de Barros e José Camelo de Melo.

FONTES CONSULTADAS

CÂMARA Brasileira de Jovens Escritores. José Pacheco. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: <http://www.camarabrasileira.com /cordel24.htm>. Acesso em: 01 nov. 2014.

CORDEL Atemporal. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: <http://marcohaurelio.blogspot.com.br/2011/06/dicionario-basico-de-autores-de-cordel.html&gt;.> Acesso em: 26 nov. 2014.

FILHO, Severino Alves de. Folkmarketing: uma estratégia comunicacional construtora de discurso. Disponível em: <http://www.eventos.uepg.br/ojs2_revistas/index.php?journal=folkcom&page=article&op=viewFile&path%5B%5D=641&path%5B%5D=468>. Acesso em: 29 set. 2014.

MEDEIROS, Antonio Heleonarde Dantas de; HOLANDA, Virgínia Célia Cavalcante de. Geografia e literatura de cordel: trilhando práticas e possibilidades em sala de aula. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 9, n. 28, p. 134-145, dez. 2008.

MELO, Alex Canuto de Melo. Memórias candangas: representações de outras Brasílias na literatura de cordel. 2013. 53 f. Monografia (Graduação) –  Universidade de Brasília, Departamento de Teoria Literária, Brasília: [S.n], 2013.

RICARTE, Alyne B. F. Virino. O folheto na história e a história no folheto: práticas e discursos culturais do cordel de circunstância em Fortaleza (1987- 2007). 2009. 230 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual do Ceará, Coordenação do Mestrado em História e Culturas, Fortaleza: [s.n], 2009.

SANTOS, Morgana Ribeiro dos. Perspectivas da literatura de cordel no ensino fundamental: poesia popular nordestina nos livros didáticos. In: CONGRESO INTERNACIONAL ASOCIACIÓN DE LINGÜÍSTICA Y FILOLOGÍA DE AMÉRICA LATINA, 22., 2014. Anais… João Pessoa: [s.n], 2014.

SILVA, Danilo de Abreu. Cordel: educomídia no discurso popular. [S.l.: s.n., 20?].  Disponível em: <http://encipecom.metodista.br/mediawiki/images/4/40/GT6_-_009.pdf>. Acesso em:  29 set. 2014.

SILVA, Fabio Luiz Carneiro Mourilhe. A estética da literatura de cordel nos quadrinhos de Jô Oliveira. Intercom. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 31., 2008, Natal. Anais… Natal: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2008.

Poeta José Pacheco da Rocha – Produção Literária

2 poetas glozando Francisco Barra Mansa diz da bebi não bebo mais

A beata que viu meu padrinho Cícero sexta-feira da paixão

A chegada de Lampião no céu

A chegada de Lampião no inferno

A descrição das mulheres conforme os seus sinais

A emancipação do frondoso Cariri

A festa dos cachorros

A guerra civil

A intriga do cachorro com o gato

A lavandeira do céo ou os milagres do Padre Cícero num debate religioso

A mãe de calor de figo

A mulher no lugar do homem

A princesa Rosamunda e a morte do gigante

A propaganda de um matuto com um balaio de maxixe.

A sorte de uma meretriz

ABC do amor

As palhaçadas de um caboclo numa hora de confissão

As prezepadas do caboclo na hora da confissão

Debate de Lampião com São Pedro

Discurção de Torce-bola e Barra Mansa

Discussão de dois glosadores José Matuto: o mundo só presta assim

Discussão de dois glosadores: Luís Bentevi e José Matuto

Dois glosa­dores barra mansa e torcebola

Estoria de Grinaura e Sebastião

Grande debate de Lampião com São Pedro

Grínaura e Sebastião

His­toria completa de Grínaura e Sebastião

História de Vicente e Josina

Historia do caça­dor que foi ao inferno

Historia dos compadres e a vaca da costela de pau

Homem sem mulher não passa

Já bebi, não bebo mais! Bebo até lascar o cano!

Lampião e a velha feiticeira

Luiz Bentevi: o mundo não presta mais

Mamadores da negra dum peito só

O apareci­mento do Padre Cícero a uma beata santa

O assassinato de uma jovem e a santificação de seu corpo

O caçador que foi ao in­ferno

O matuto vendendo fumo ambulante

O prazer do rico e o sofrimento do po­bre

Os horro­res do fim do mundo

Os prantos de Cacilda e a vingança de Raul

Os sofrimentos de Jesus Cristo

Os sofri­mentos de N. S. Jesus Cristo

Peleja de João de Lima com José Pacheco

Peleja de João de Lima com um cantador da Bahia

Peleja de Manoel Riachão sobri­nho com José Maneiro

Peleja de Riachão Sobrinho com José Maneiro

Peleja de um cantador com o diabo

Peleja de Vicente sabia com Antônio Coqueiro

Peleja dum embolador de coco com o diabo

Sermão proféti­co revelado sexta-feira da paixão a beata Francelina pelo Revmo. Pe. Cíce­ro R. Batista