Arquivo da tag: José Honório da Silva

Poeta José Honório da Silva – Síntese biográfica

José Honório da Silva (23/01/1963)

Cordelista nascido no Recife, Pernambuco, em 23 de janeiro de 1963. Publica folhetos de cordel desde 1984. Articulador da União dos Cordelistas de Pernambuco – UNICORDEL, através da qual promove recitais, palestras e oficinas. Pertence à nova geração de poetas populares que veem a tecnologia como aliada da tradição. Foi um dos primeiros a usar a internet como espaço de peleja virtual, com o ontológico: O marco cibernético construído em Timbaúba – a peleja virtual entre Américo Gomes (Paraíba) e José Honório (Pernambuco), chegando a ser denominado de o tímido rei do repente em reportagem de Maria Alice Amorim para o Jornal do Commercio.

Honório é uma figura emblemática da arte de recitação na capital pernambucana, tanto pelo seu texto como pela sua performance em palco. Vem realizando palestras e oficinas de cordel (inclusive no exterior), além de levar sua poesia para escolas, feiras e eventos culturais. O seu livro Indecências em parceria com o xilogravurista Marcelo Soares é uma referência no gênero e encontra-se publicado no Interpoética.

FONTES CONSULTADAS

AMORIM, Maria Alice. [S.l.: s.n., 20?]. O tímido rei do repente. Disponível em: <http://hp.br.inter.net/jhonorio/ otimidorei.htm>. Acesso em: 24/03/2014.

PERFIS. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: <http://interpoetica.com/site/index.php?option=com_content&view=article&id=232&catid=48>. Acesso em: 22 nov. 2014.

Poeta José Honório da Silva – Produção Literária

A briga do galo com o peixe pra ter direito à Concórdia

A buchada ou o aniversário de Julita

A gloriosa vitória do Leão da Ilha contra o gavião alvinegro

A gordinha que se deu bem por causa da internet

A mini-peleja do cordelista cibernético com Silvestre Stalonge no MSN messenger

A peleja entre a velha do bambu e o velho mangote através da internet ou Na pancada do teclado

A peleja virtual de José Honório com Mauro Machado

A trágica história do cruel assassinato da Sra. Nazaré de Andrade, Dona do Restaurante Recanto do Cajá em Timbaúba – PE

A volta de Virgulino pra consertar o Sertão

Arpe

Avó deu à luz os filhos de sua filha

Com a dança da bundinha o povo segura o tchan

Eu e Juliana ou No galope da paixão

Grupo popular dança Pernambuco

Leda

Memorial Luiz Gonzaga

O ataque do tubarão no bairro da Iputinga

O atentado terrorista e o desmantelo da guerra

O duelo cibernético de José Honório com Mauro Machado        

O frevo convida o povo para a festa do centenário

O galo da madrugada

O interior de hoje em dia

O meu marco cibernético construído em Timbaúba

O novo código civil ou quando o japonês trocou o kaneko no Belforte da Marieta

O PT está ferrado por causa do mensalão

O tarado do bisturi que atacou em Recife

O tempo dos holandeses na visão de Zé Limeira

O triste fim de um devedor

Peleja Virtual entre Américo Gomes (PB) e José Honório (PE)

Raquel e Saldanha ou essa mulher é demais!

Recife, carnaval, frevo e passo

Rede Globo Nordeste 25 anos

Retrato de um turista

São João

Sidrião e Maristela e a goiaba da discórdia

Um cordel pra Bob Marley

Uma triste confissão ou as memórias de Sofia

Viagra

Vida e morte de Frei Damião

Viva Tonheta!