Arquivo da tag: José João dos Santos

Poeta José João dos Santos – Síntese biográfica

José João dos Santos (08/01/1932)

Azulão, alcunha de José João dos Santos, nasceu em Sapé, Paraíba, a 08 de janeiro de 1932. Filho de João Joaquim dos Santos e de Severina Ana dos Santos, aos 17 anos na carroceria de um pau-de-arara, embarcou para o Rio de Janeiro, onde foi um dos fundadores da Feira de São Cristóvão. Cantador e poeta popular dos melhores, começou a ser conhecido após uma apresentação no programa de rádio de Almirante, no início da década de 1950.

Seus folhetos mais famosos são O trem da madrugada, como se pode constatar no verso que segue:

Leitores trago mais uma

Criação muito engraçada

Da minha lira poética

Que sempre vive afinada

Desta vez descrevo bem

O movimento do trem

Que desce da madrugada.

 

Seja de Paracambi

São Mateus ou Santa Cruz

A turma da fuleragem

Que só bagunça produz

De madrugada só quer

Carro que tem mais mulher,

Porta enguiçada e sem luz.

(SANTOS, AZULÃO, O trem…, s/d, p. 1)

 

Outro folheto que ganhou fama foi O poder que a bunda tem. A obra desse cordelista, que contabiliza ter publicado mais de trezentos folhetos, se destaca principalmente pelo humor, abordando temas como a história da minissaia ou uma genealogia dos chifrudos.

Não deixa de enveredar, também, pelas histórias de animais, pelos contos de castigo e recompensa e por pelejas, fatos políticos e históricos maravilhosos, aspectos da religião (milagres e romarias em Aparecida do Norte), além do romance, como por exemplo, História de Renato e Mariana no Reino de Macabul.

FONTES CONSULTADAS

CORDEL atemporal. [S.l.: s.n., 20?]. Disponível em: <http://marcohaurelio.blogspot.com.br/2011/06/dicionario-basico-de-autores-de-cordel.html>. Acesso em: 22 out. 2014.

GOMES, Marisa Nunes. A inculturação nas salas de aula através do estudo da literatura de cordel. 2013. 37f. Monografia (Graduação) – Faculdade de Pará de Minas, Curso de Letras, 2013.

MENDES, Simone de Paula dos Santos. Um estudo da argumentação em cordéis midiatizados: da enunciação performática à construção discursiva da opinião. 2011. 277 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras, Programa de Pós-graduação em Estudos Lingüísticos, Belo Horizonte, 2011.

NEMER, Sylvia Regina Bastos. Governando as memórias: a feira de São Cristóvão e os novos olhares da governança memoriaL. IN: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS CULTURAIS, 4., 2013, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: Fundação Casa Rui Barbosa, 2013.

NEMER, Sylvia Regina Bastos. Feira de São Cristovão: foi assim que começou. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH, 15., 2012, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: ANPUH. Disponível em: <http://www.encontro2012.rj.anpuh.org/resources/anais/15/1338341567_ARQUIVO_FeiradeSaoCristovaofoiassimquecomecou.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2014.

Poeta José João dos Santos – Produção Literária

A chegada de Lampião no inferno

A Deusa e o Caçador

A era do chifre

A escravidão moderna

A feira nordestina foi assim que começou.

A festa dos cachorros

A grande briga de Lampião com a moça que virou cachorra

A guerra e a corrupção geral

A história da família camponesa

A intriga do cachorro com o gato

A moda do chifre

A morte de Isabella abalou o Brasil

A morte de João Hélio

A morte do famigerado Lampião

A ousadia da onça e o poder da formiga

A peleja de Azulão com Zé Limeira

A Vitória de Renato e o Amor de Mariana

Adeus a Airton Senna

As falsas religiões

Camisinhas para todos

Caravana Centro Cultural Light

Centro Luiz Gonzaga de tradições nordestinas.

Cordel repente e viola em Portugal com Mestre Azulão e Bezerra do Ceará

CPI, mensalão e ratos brasileiros

Discussão de Joaquim Sertanejo e Francisco Peia-Onça

Escravos do vício

Espaço cultural Praça Catolé do Rocha: Centro de Tradições Nordestinas : Feira de São Cristóvão.

Feira de São Cristovão homenageia o gênio do humor: Chico Anysio.

História de Vicente e Josina

História do caçador que foi ao inferno

Lampião e a velha feiticeira

Nascimento vida e obra de Vinícius de Moraes.

O caos nos hospitais públicos.

O fazendeiro mendigo e a cabocla encalhada.

O grande debate de Lampião com São Pedro

O homem do arroz e o poder de Jesus

O Mártir de San Quentin – Chessman

O poder que a bunda tem

O prazer do rico e o sofrimento do pobre

O trem da madrugada

Os falsos cristãos

Os loucos da moda

Os mamadores da negra dum peito só

Os namorados de hoje

Os prantos de Cacilda e a vingança de Raul

Os sofrimentos de Cristo

Peleja de Azulão com Palmeirinha

Peleja de Azulão com Palmeirinha

Peleja de Azulão com Zé Limeira

Peleja de Azulão do Norte com André Gonçalves

Peleja de Mestre Azulão com Bezerra do Ceará

Peleja de um cantador de coco com o Diabo

Proteja o meio ambiente

Ratos brasileiros

Rogério e Adriana no reino de Macabul

Terror nas torres gêmeas

Um rio de chacinas