Poeta Franklin de Cerqueira Machado – Produção literária

MAXADO, Franklin. A bela história de Jaci, a prostituta virgem e santa. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 1978. 13 p.

MAXADO, Franklin. A cama que matou a noiva no gozo da lua de merda. São Paulo, SP: [s.n.], 1983. 8 p.

MAXADO, Franklin. A chave do coração amante ou Herculano e Sinhazinha. [Feira de Santana, BA]: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1998. 31, [1] p.

MAXADO, Franklin. A cinderela mulata da cidade maravilhosa. São Paulo, SP: [s.n.], 1984. 9 p.

MAXADO, Franklin. A conversa internética entre Maxado e Jotacê!: (nas águas de Cuíca e Rodolfo). Salvador, BA: Tapera, 2005. 13 p.

MAXADO, Franklin. A feira de Feira de Santana já vai sair do meio da rua. [Feira de Santana, BA]: [s.n.], [200-?]. 9 p.   

MAXADO, Franklin. A feira de Feira quer voltar prá praça. [Feira de Santana, BA]: [s.n.], [200-?]. 7 p.

MAXADO, Franklin. A história do Bairro George Américo. Feira de Santana, BA: Universidade Estadual de Feira de Santana, 1999. 10 p.      

MAXADO, Franklin. A madama sulista que foi no mangue baiano nas águas de Jorge Amado. Mundo Novo, BA: [s.n.], 1981. 9 p.

MAXADO, Franklin. A verdadeira lenda do Pai Inácio da Chapada: jagunço do capitão Lucas da Feira. [Feira de Santana, BA]: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1997. 7, [1] p.

MAXADO, Franklin. As aventuras amorosas de Dona Mariquinha. Fortaleza, CE: Tupynanquim, 2002. 8 p.

MAXADO, Franklin. Aventuras duma doutora carioca e feminista ou A mulher do século XXI: dedicado à Drª Márcia Moura. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 1985. 11 p.

MAXADO, Franklin. Bate-papo virtual sobre as coisas e figuras de Feira de Santana e de Santa Bárbara por dois poetas sertanejos. Feira de Santana, BA: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 2006. 16 p.

MAXADO, Franklin. Capitão Lucas da Feira: a verdadeira história. Feira de Santana, BA: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 2002. 7, [1] p.

MAXADO, Franklin. Carta de um pau-de-arara apaixonado pra sua noiva. São Paulo, SP: [s.n.], 1976. 8 p.        

MAXADO, Franklin. Chica Bananinha, a sapatão barbuda de lá da Paraíba. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 1984. 8 p.       

MAXADO, Franklin. Ciro e Lula apoiam Colbert e Gerinaldo e mandam votar no 23. [Feira de Santana, BA]: [s.n.], [200-?]. 8 p.        

MAXADO, Franklin. Cordel: homenagem da Cacimba a Franklin Machado. Rio de Janeiro, RJ: Copy& Arte, [19–?]. [29] p.

MAXADO, Franklin. Dadinho botou a Bahia no mapa dos cantadores. Feira de Santana, BA: [s.n.], 2003. 7, [1] p.

MAXADO, Franklin. Dificuldades do cordel mostradas por um poeta. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 1985. 8 p.

MAXADO, Franklin. Entrar na terceira idade é saber viver com arte. Feira de Santana, BA: Imprensa Universitária, 1999. 8 p.        

MAXADO, Franklin. Estamos no fim do mundo. Morro do Chapéu, BA: [s.n.], 1978. 10 p.

MAXADO, Franklin. Eu também sou presidenciável. São Paulo, SP: [s.n.], 1983. 8 p.

MAXADO, Franklin. Feira de Santana tem sua casa do sertão na U.E.F.S.: Casa do Sertão. Feira de Santana, BA: Museu Casa do Sertão, 2003. 16 p.   

MAXADO, Franklin. Feira de Santana tem sua casa do sertão na U.E.F.S.: Casa do Sertão. Feira de Santana, BA: Universidade Estadual de Feira de Santana, 1994. 18 p.     

MAXADO, Franklin. Feira na Feira do SEBRAE, a FIAAP 97. Feira de Santana, BA: Universidade Estadual de Feira de Santana, 1997. [6] p.

MAXADO, Franklin. Ida Maria é mulher até na Câmara!. São Paulo, SP: [s.n.], 1982. 8 p.

MAXADO, Franklin. Lampião morreu em Sergipe pensando deixar o cangaço. Serra Talhada, PE: [s.n.], 2002. 7, [1] p.

MAXADO, Franklin. Mais um adeus de Maxado Nordestino. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 1986. 1 p. : il.         

MAXADO, Franklin. Maluf, que me desculpe, mas sou baiano também. São Paulo: [s.n.], 2004. 8 p.

MAXADO, Franklin. Maria Quitéria, heroína baiana que foi homem. São Paulo, SP: Livraria Cacimbinha, [197-]. 8 p.     

MAXADO, Franklin. Maria Quitéria, heroína baiana que foi homem. 3. ed. São Paulo, SP: [s.n.], [19–]. 8 p.        

MAXADO, Franklin. Nossa Senhora da paz vai sempre a Anguera e só um beato a vê. Feira de Santana, BA: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1998. 7, [1] p.     

MAXADO, Franklin. O baiano que foi ao Japão por dentro da terra. [Feira de Santana, BA]: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1998. 11, [1] p.

MAXADO, Franklin. O bode subversivo que deu no diabo. Mundo Novo, BA: [s.n.], 1979. 13 p.     

MAXADO, Franklin. O boi assassino ou o monstro de Baixa Grande. Baixa Grande, BA: [s.n.], 1979. 8 p.

MAXADO, Franklin. O caboclo comedor que bagunça sessão espírita. São Paulo, SP: [s.n.], 1977. 9 p.       

MAXADO, Franklin. O cangaceiro que deu pra beato ao fugir da caipora. Pedra de Guaratiba, RJ: [s.n.], 1980. 9 p.

MAXADO, Franklin. O discurso do candidato. [Rio de Janeiro, RJ]: [s.n.], 1983. [6] p.

MAXADO, Franklin. O filho do Crioulo Doido com a Dona Maria Banha. Salvador, BA: [s.n.], 1986. 9 p.

MAXADO, Franklin. O filme de Castro Alves e Rui Barbosa feito por Glauber Rocha no além ou A baianada no céu. Salvador, BA: [s.n.], 1986. 9 p.  

MAXADO, Franklin. O goleiro bicha que matou o time de AIDS. São Paulo, SP: [s.n.], 1985. 8 p.

MAXADO, Franklin. O japonês que ficou roxo pela mulata. São Paulo, SP: [s.n.], 1976. 10 p.

MAXADO, Franklin. O jumento que virou gente ou O milagre do Frei Damião. Feira de Santana, BA: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1998. 7, [1] p.

MAXADO, Franklin. O milagre de São Jumento no Pará. São Paulo, SP: [s.n.], 1980. 8 p.

MAXADO, Franklin. O mundo vai estourar do jeito em que se vive. Mundo Novo, BA: [s.n.], 1976. 9 p.

MAXADO, Franklin. O nordestino pensava que a japonesa tinha a coisa atravessada. São Paulo, SP: [s.n.], 1985. 8 p.        

MAXADO, Franklin. O parto artificial da cabocla liberada. São Paulo, SP: [s.n.], 1985. 8 p.

MAXADO, Franklin. O poeta Castro Alves também visitou Lençóis. Feira de Santana, BA: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1997. 7, [1] p.   

MAXADO, Franklin. O rapaz que deixou de ser donzelo no bordel. São Paulo, SP: [s.n.], [19–]. 11 p.

MAXADO, Franklin. O tarado da capa preta que assusta estudantes: (ou o punheteiro e a jumentinha). São Paulo, SP: [s.n.], 1984. 9 p.

MAXADO, Franklin. O travesti que fumou o charuto do alemão. Salvador, BA: [s.n.], 1995. 7, [1] p.          

MAXADO, Franklin. O vaqueiro que se tornou astronauta. Salvador, BA: Livraria Maxado Nordestino, 1979. 8 p.

MAXADO, Franklin. Os filhos do carnaval. São Paulo, SP: [s.n.], 1982. 8 p.

MAXADO, Franklin. Os velhos putanheiros. São Paulo, SP: [s.n.], 1984. 9 p.

MAXADO, Franklin. Os viadinhos amigados. São Paulo, SP: [s.n.], 1984. 8 p.

MAXADO, Franklin. Padre Pinto faz a cabeça no candomblé, solta a franga e canta de galo. Salvador, BA: [s.n.], 2006. 8 p. 

MAXADO, Franklin. Peleja de Zé Limeira com Crioulo Doido. São Paulo, SP: [s.n.], 1977. 13 p.

MAXADO, Franklin. Quem casa, quer casa e… cama!. São Paulo, SP: [s.n.], 1983. 6, [1] p.

MAXADO, Franklin. Romance do vaqueiro Marciano da Égua. São Paulo, SP: Gráfica e editora GED, 1976. 18 p.

MAXADO, Franklin. Saci e bicho folharaz no reino da bicharada. Feira de Santana, BA: [s.n.], 1977. 9 p. 

MAXADO, Franklin. Segundo encontro de Maxado com Rodolfo Cavalcante na banca dos trovadores. [Feira de Santana, BA]: Museu de Arte Contemporânea Feira de Santana (MAC), 1997. 7, [1] p.         

MAXADO, Franklin. Testamento de Judas pela Semana Santa. São Paulo, SP: [s.n.], 1980. 9 p.

A alma de Lampião faz misérias no Nordeste

Brasília: 50 anos de esperança candanga

Carta dumpau-de-arara apaixonado pra sua noiva

Debate de Lampião com uma turista americana

Eu quero ser madamo e casar com feminista

Horóscopo das bichas

Laroiê

Metrô – jabuti só anda quando exu receber o seu despacho devidamente na Bahia

O crioulo doido que era um poeta popular

O pulo do gato-mestre

O que Luiz Gonzaga é

O romance do vaqueiro marciano da égua

O sapo que desgraça o Corinthians

Os romances feministas de Gracinha Corneteira, a Malazartes de minissaia

Papagaio e as macacas que não estão na mata (uma fábula urbana de bichos)

Profecias de Antônio Conselheiro – o sertão já virou mar

Querem tomar a Amazônia

Vaquejada de sete peões pra derrubar uma mineira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s