Poeta Francisco Barbosa Sobrinho – Síntese biográfica

Francisco Barbosa Sobrinho nasceu na cidade de Itaporanga, em junho de 1955. No entanto, seu pai trabalhava em Princesa Isabel e só veio conhecê-lo em janeiro de 1956. Até ser registrado o chamavam de Bebé de Natércio, apelido o qual ficou conhecido até hoje.

Quando morava no Sítio São Bento, o Padre José Sinfônio de Assis Filho começou a observar sua desenvoltura em declamar poesias, então, incentivou a família de Bebé de Natércio a colocá-lo em uma escola particular. Apesar das dificuldades para ir ao colégio o compositor não desistiu, era curioso e gostava muito de estudar.

Aos 14 anos, fez seu primeiro cordel que falava de um cachorro de feira. Suas inspirações vinham sempre de situações cotidianas, onde logo as datilografava e vendia por onde passasse.

Na mesma idade, começou a se encantar pela música ao observar jovens ensaiarem na Filarmônica Cônego Manoel Firmino, criada pelo padre José Sinfônio em 1965, no Colégio Diocesano Dom João da Mata que, posteriormente, viria a ser Maestro da banda em Itaporanga.

Em 1978, Bebé passou no vestibular de Música, entretanto, as adversidades da vida o fizeram desistir pouco tempo depois. Durante 14 anos ganhou a vida como professor de Literatura. O jogo de rimas, trocadilhos e o sentimento que as palavras transmitiam fez com que o rapaz se reaproximasse desse universo.

Decidiu voltar a estudar Música quando passou no concurso público para o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) em João Pessoa, sendo transferido para Cajazeiras para coordenar a banda da instituição como Maestro Fundador. Nessa época aflorou seu talento adormecido, criando arranjos e composições, como o LP “O Canto de Itaporanga”, em 1992.

Quando voltou para o IFPB em João Pessoa, passou a ser professor de Música da instituição. Em 2004 gravou o disco “Do Mato”, muito elogiado pela crítica. Como produtor cultural, já arranjou e produziu CDs de Bira Delgado, Chico de Pombal, Irah Caldeira, Daudeth Bandeira,Meire Lima, Oliveira de Panelas, Elpídio Ferreira, Xico Bizerra, Bob Laureano, Marcos Maia, Merlânio Maia, Magalhães e da Banda de Metais e Percussão do IFPB, entre outros.

Em 2008, assumiu a Orquestra Nordestina Unha de Gato: Clarinete de 8 Baixos, o primeiro instrumento que aprendeu a tocar. Entretanto, por falta de apoio financeiro, o projeto cultural foi encerrado em 2012.

Além de músico, Bebé de Natércio também é poeta cordelista, com 86 cordéis editados, pesquisador da cultura popular nordestina e pós-graduado em Gestão Pública pelo IFPB. É professor de música aposentado e se dedica a composições e arranjos em parceria com músicos e amigos de sua geração.

Em 10 de março de 2016 seus amigos fizeram uma homenagem pelos seus 60 anos, ao som de suas principais músicas. O próximo projeto tem o título provisório de “Samba do Poeta” e está previsto para ser lançado em março de 2017.

Fontes:

http://itaporangapb.blogspot.com.br/2014/12/la-vem-banda-do-padre-ze.html

http://rekadinhoita.blogspot.com.br/2012/03/bebe-de-natercio.html

Entrevista/Inventário/ParaíbaCriativa/SaraGomes/BebédeNatércio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s