Poetisa Izabel Cristina Santana do Nascimento – Síntese biográfica

Sergipana de Aracaju, a pedagoga, poetisa e cordelista Izabel Cristina Santana do Nascimento é filha do casal de poetas populares pernambucanos, Pedro Amaro do Nascimento e Ana Santana do Nascimento, radicados em Aracaju (NASCIMENTO, 2004; NASCIMENTO, 2017; NASCIMENTO [2017?]).

Izabel Nascimento nasceu no dia 22 de agosto de 1979 e provou que herdou a veia poética dos pais, com apenas 7 anos começou a escrever seus primeiros versos e com 13 anos o primeiro folheto, Um falso amor (1993), que foi publicado em 2004 (NASCIMENTO, 2004; NASCIMENTO, 2017; NASCIMENTO [2017?]).

Um falso amor
 
Vou falar do que senti
Por alguém que encontrei
Que mudou a minha vida
Outro igual, jamais amei
Transformou tudo em mim
Hoje sei que até o fim
Desse amor, dependerei
 
O fato que contarei
Lhe será surpreendente
Envolve a minha vida
E a vida de muita gente
A história desse alguém
A que eu queria bem
Me mudou completamente
 
Eu ainda era inocente
Quando, minha mãe, perdi
Só Deus sabe o que passei
O quanto chorei e sofri
Mas depois de tanta dor
Encontrei Um Grande Amor
Compensou o que senti
 
Ao levarem mamãe dali
O meu pai sofreu demais
Quase que enlouqueceu
Não se conformou jamais
De tanto que se amavam
Todos os consideravam
O mais Feliz dos Casais
 
Nos instantes funerais
Eu, então, sofri também
Entre amigos e família
Não compareceu ninguém
Tendo que me confortar
Precisava encontrar
O Carimho de alguém
 
Não revelei a ninguém
A tristeza que sentia
Tudo o que mais desejava:
Esquecer aquele dia
Livrar-me daquela dor
Encontrar Um Grande Amor
Que me trouxesse Alegria
 
[...]
(NASCIMENTO, 2004, grifo do autor)

Premida no Concurso de Poesias do Jornal da Cidade de Aracaju (2009) com o cordel São João em Sergipe: danado de bom, Izabel Nascimento sempre foi motivada no ambiente familiar, com os pais poetas (NASCIMENTO, 2004; NASCIMENTO, 2017).

Cordel de Pai e Filha
 
I - Pedro Amaro, eu admiro
A pessoa que tu és
Teu talento, tua força
Tua vida, sem revés
Que Deus, com sabedoria
Permita que eu chegue, um dia
Ao alcance dos teus pés
 
P - Teus versos são pura Arte
A Constelação que brilha
Neste teu jardim poético
És a Nona Maravilha
Eu me sinto uma fagulha
Pois teu Pai muito se orgulha
Em ter você como filha
 
I - Tua forma de escrver
Eu herdei a mesma trilha
Tua personalidade
É Astro que sempre brilha
Em Prosa, Verso ou Repente
Orgulho-me imensamente
Porque sou a tua filha
 
P - Os teus Talentos são dons
Virtudes que ninguém tira
Nos campos da Poesia
Uma Musa te inspira
Se o mundo rejeitar-te
Se ninguém admirar-te
O teu Pai te admira
 
I - Exemplo de Honestidade
Por Jesus abençoado
Coerente, tolerente
Genoroso e humorado
És um sábio destemido
Pelos amigos, querido
E por todos nós amado
 
P - Admiro porque és
Poetisa, filha e amiga
Pois no decorrer dos anos
Pode aparecer quem diga
Que teu sucesso é brilhante
Teus versos como um gigante
Os meus como uma formiga
 
(AMARO; NASCIMENTO, 2008)

Izabel Nascimento afirma que também foi inspirada pelos poetas João Firmino Cabral, Manoel D’Almeida Filho e Leandro Gomes de Barros (NASCIMENTO, 2004; NASCIMENTO, 2017).

Em entrevista a Oliveira Caruso, publicada no site Reino dos concursos, ao ser questionada sobre frequência e gênero que lê, respondeu: Gosto de ler Cordel. Recentemente, tenho me dedicado às leituras teóricas sobre a Literatura de Cordel e mergulhado no campo da pesquisa. Como passei a conhecer muitos poetas cordelistas através das redes sociais, tenho lido os cordéis que recebo de presente destes amigos. Além de meu pai, Pedro Amaro, leio e releio os folhetos do saudoso sergipano João Firmino Cabral, me encanto com a alegria dos versos do meu conterrâneo e amigo, o Poeta João Batista Melo, me impressiono com a grandeza dos versos do paraibano Zé de França, aprecio a coesão dos versos do grande Moreira de Acopiara e pesquiso na fonte inesgotável que deixou o grande Patativa do Assaré (NASCIMENTO, [2017?]). 

FONTES CONSULTADAS

AMARO, Pedro; NASCIMENTO, Izabel. Cordel de pai e filha. Aracaju, [S.l. : s.n.], 2008. In: Cordelteca do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP). Disponível em: <http://docvirt.com/docreader.net/docreader.aspx?bib=cordel&pasta=&pesq=IZABEL%20NASCIMENTO&gt;. Acesso em: 20 ago. 2017.

NASCIMENTO, Izabel Cristina Santana do. Formulário. [S.l. : s.n.]. In: Memórias da poesia popular. 15 abr. 2017. Disponível em: <https://memoriasdapoesiapopular.com.br/poeta-conte-sua-historia/&gt;. Acesso em: 20 ago. 2017.

NASCIMENTO, Izabel. Entrevista com Izabel Nascimento. Entrevistador: Oliveira [S.l. : s.n]. In: Reino dos concursos. [2017?]. Disponível em: <http://www.reinodosconcursos.com.br/entrevista-com-izabel-nascimento&gt;. Acesso em: 20 ago. 2017.

NASCIMENTO, Izabel. Um falso amor. Aracaju, [S.l. : s.n.], 2004. In: Cordelteca do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP). Disponível em: <http://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=cordel&pagfis=84266&gt;.  Acesso em: 20 ago. 2017.

  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s