Poeta Francisco Barros Alves – Síntese biográfica

Filho ilustre de Mombaça no estado do Ceará, Francisco Barros Alves é um cordelista que exerce diversificadas atividades: jornalista, cronista, comentarista, taquígrafo, folclorista e poeta. Nasceu no Cedro (CE), radicado na zuna rural de Mombaça, e foi o “décimo sexto filho e único adotado de um casal sem estudo […]” (VIANA, 2011).

Barros Alves (como é mais conhecido) foi influenciado a criar o hábito da leitura pela irmã Tereza. Enquanto amante da tradição, no dia do folclorista, escreveu uma homenagem em seu blog, pôster que também indica o cordel de O Folclore Brasileiro, de Rouxinol do Rinaré.

Minha homenagem especial neste dia, aos poetas de cordel e aos cantadores que improvisam seus versos maravilhosos ao som da viola. Estes eu os considero os verdadeiros gênios da raça. Emociona-me profundamente ouvi-los cantar em desafio, desfiar suas canções melancólicas, enfrentarem-se em desafios em que o ataque verbal semelha uma trovada, uma tempestade de versos; e o raciocínio de cada um é um facho de luz rasgando os ares e iluminando a plateia como um relâmpago rasgando o firmamento. (ALVES, 2009)

O atuante poeta participa de diversas corporações, conforme indica seu minicurrículo publicado no site da Associação Nacional de Escritores (ANE): Academia Cearense de Hagiologia (ocupante da cadeira 19, cujo patrono é Santo Tomás de Aquino); Academia Cearense de Retórica; Academia Cedrense de Letras (ACL), onde ocupa a cadeira 9; Academia de Letras dos Municípios do Estado do Ceará (ALMECE), antiga Academia de Letras Municipais do Brasil – Seção do Ceará, participando do Conselho Fiscal no biênio 2010-2012 e é membro honorário como acadêmico por município, especificamente da cidade de Maracanaú (CE); Associação Nacional de Escritores; Círculo Monárquico do Ceará; Comissão Cearense de Folclore (CCF); Instituto Memória de Canindé; Movimento Parlamentarista Monárquico; Recta Ratio; Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço (SBEC); Sociedade Cearense de Geografia e História; e Sociedade dos Poetas e Escritores de Maracanaú (BARROS …, [20–]).

O escritor e jornalista, editor-chefe da revista Nordeste VinteUm,  Francisco Alves de Barros,  publicou ensaios e poesias. A produção que traz como tema o cordel: A Literatura de Cordel como Instrumento de Conscientização (Ensaio), em 1982, recebeu o prêmio Leonardo Mota de Folclore, concedido pela Secretaria de Cultura e Desporto do Estado do Ceará. A obra é indicada no guia de fontes sobre o cordel, etapa das discussões sobre metodologia para registro da literatura de cordel como patrimônio cultural brasileiro, intitulado Literatura de Cordel no Brasil: um inventário bibliográfico nacional.

Dimas Macedo, em seu blog Literatura, arte e direito, descreve e analisa o ensaio Cachaça, Cordel e Cantador (1991) de Alves de Barros, concluindo: “Trata-se de pesquisador de vasta formação humanística, forrado pelas leituras do clássico e do popular, cujos conhecimentos atestam a sua posição de cordelista maior e de intelectual que se eleva na cultura do Ceará, na atualidade” (MACEDO, 2012).

FONTES CONSULTADAS

ACADÊMICOS: Sócios Honorários e Diretoria 2016/17. In: Blog da ABRHAGI: academia brasileira de hagiologia. Disponível em:

<http://hagiologia.blogspot.com.br/p/academicos.html&gt;. Acesso em: 11 abr. 2017.

ALVES, Barros. Cachaça, cordel e cantador (a cachaça na poesia do povo – uma apologia). [S.l]: Ed. Natacha, 1991. 96 p.

ALVES, Francisco Barros. A literatura de cordel como instrumento de

conscientização. Fortaleza: Secretaria de Cultura, 1982.

BARROS Alves. In: Associação Nacional de Escritores. [S.l. :s.n]. [20–]. Disponível em: <http://www.anenet.com.br/barros-alves/&gt;. Acesso em: 10 abr. 2017.

GASPAR, Lúcia; BARBOSA, Virgínia; SANTOS, Saldanha dos. Literatura de cordel no Brasil: um inventário bibliográfico nacional. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2013. Disponível em: <http://www.fundaj.gov.br/images/stories/literatura%20de%20cordel%20final%2023.9.2013%204%201.pdf&gt;. Aceso em: 12 abr. 2017.

MACEDO, Dimas. Barros Alves e a cultura popular. In: Dimas Macedo: Literatura, arte, direito. [S.l. : s.n.]. 1 out. 2012. Disponível em: <http://dimasmacedo.blogspot.com.br/2012/10/barros-alves-e-cultura-popular.html&gt;. Acesso em: 12 abr. 2017.

VIANA, Antônio. Biblioteca César Cals e o saber de Barros Alves. In: AVOL. [S.l. : s.n.]. 19 dez. 2011. Disponível em: <http://www.antonioviana.com.br/2009/site/coluna.php?id=5315&gt;. Acesso em 12 abr. 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s