Poeta José Costa Leite – Produção Literária

2ª Peleja de Bandeirinha com Manoel Batista

A alma que foi ao céu e a caveira de Adão

A boa vida do rico e a triste vida do pobre

A briga da mãe do cão com Lampião no inferno

A briga de Antonio Silvino com Lampião no inferno

A briga de duas quengas por causa dum pé de manga

A briga de Lampião com a moça que virou cachorra

A briga de Lampião com a onça do Pajeú

A briga de Lampião com o rapaz que virou Bode

A brigada de Galo Preto e o Cangaceiro Zé Bento

A cabra misteriosa que falou profetizando

A cara feia da fome no golpe da carestia

A carta misteriosa do Padre Cícero Romão

A carta misteriosa do Padre Cícero Romão: os sinais do fim do mundo

A chegada de Frei Damião no céu

A chegada de Silvino na Vila Macaparana

A crise e a carestia matando o povo de fome

A discussão de Costa Leite com Cícero Pedro de Assis

A feiticeira do Reino da Serra Branca

A filha que matou o pai por causa duma pitomba

A garça misteriosa.

A luta de Antônio Silvino com o dragão encantado

A luta de Lampião com a besta-fera

A luta de Lampião com a velha feiticeira

A luta de Lampião com o lobisomem valente

A menina que nasceu e falou profetizando

A mensagem de Jesus ou O sermão da montanha

A moça de Curva Grande e o negro do Cipó Branco

A moça que foi vender o periquito em Piancó

A moça que o bicho mordeu numa noite de São João. Condado, PE: A Voz da Poesia Nordestina

A moça que pisou Santo Antônio no pilão pra casar com o boiadeiro

A moça que quebrou o cabaço numa noite de São João

A moça que se amigou com um jumento

A moça que se casou dez vezes e continou donzela

A moça que só vivia querendo afogar o ganso

A moça que virou cabra no sertão do Ceará

A moça que virou porca

A morte de Raimundo Jacó e a missa do vaqueiro

A mudança dos tempos de 1986 a 2.000

A mudança dos tempos na ladeira de dois mil

A mulher carinhosa

A mulher da bunda grande sempre teve nota dez

A mulher da calcinha branca

A mulher da coisa grande

A mulher do cabaré

A mulher do homem da burra cega

A mulher gostando da gente faz com a gente o que quer

A mulher mostrar o peito já virou moda hoje em dia

A mulher que enganou o diabo

A mulher que engoliu um par de tamancos com ciume do marido

A mulher que perdeu a bunda no Estado da Bahia

A mulher que quebrou as gaias do marido com uma mão de pilão

A mulher tem o sabor da maçã: a malícia e o veneno da serpente

A nova profecia do grande sábio francês

A onça e o bode

A origem e os milagres da cachaça

A Peleja de Zé Pretinho com Manoel Riachão

A pobreza morrendo a fome no golpe da carestia

A pulga na camisola

A sociedade de São Pedro com o satanás

A velha Chica que fez o velho cegar apulso

A velha do tabaco cheiroso e o velho dos ovos grandes

A vida de João Malazarte

A voz da profecia

A voz de Frei Damião

A voz do sábio Francês

ABC da saudade

ABC dos cornos

Agosto de cordel

Almanaque do Padre Cicero: um verdadeiro guia para os agricultores e criadores de todo o Nordeste do Brasil

As aventuras de Genival e Jovelina: sofrimentos, amor e lutas

As aventuras de Seu Lunga no engenho do Barão

As aventuras do pescador João sem fé

As ervas medicinais

As ervas medicinais da cantiga sertaneja

As origens do cordel

As palhaçadas de Camões botando chifre no rei

As piadas de Camões nº1

As sete espadas de dores da Santa Virgem Maria

As três moças que queriam casar com um rapaz só

Bandeira sempre ao alto: presença de Pernambuco em Brasília – maio de 1973

Beijo de mulher bonita e carinho de mulher feia

Calendário brasileiro para 1984 (O rei dos almanaques)

Calendário brasileiro para 1988 (O rei dos almanaques)

Calendário brasileiro para 1991 (O rei dos almanaques)

Calendário brasileiro para 1995 (O rei dos almanaques)

Calendário brasileiro para 1996 (O rei dos almanaques)

Calendário brasileiro para 1997 (O rei dos almanaques)

Calendário Nordestino 2002

Calendário Nordestino para 1999 (O rei dos almanaques)

Calendário Nordestino para 2000 (O rei dos almanaques)

Calendário Nordestino para 2001 (O rei dos almanaques)

Calendário Nordestino para 2002 (O rei dos almanaques)

Calendário Nordestino para 2003

Calendário Nordestino: almanaque para o ano de 2006

Calendário Nordestino: almanaque para o ano de 2007

Calendário Nordestino: almanaque para o ano de 2008

Calendário Nordestino: almanaque para o ano de 2009

Caravana da saúde Nordeste: As plantas medicinais na medicina caseira

Carlos e Adalgisa (Quando o amor é mais forte)

Catálogo d’ A Voz da Poesia Nordestina

Chifre não mata ninguém

Chiquinha do bago mole e o negro Zé beiçudo

Cordel para o trânsito: Colégio Soledade

Descrição das cidades da Paraíba

Dicionário do beijo

Dicionário dos cornos

Discussão de Chico Beiçudo com Chica Fumaça

Discussão de Chico Beiçudo com Zefa Fumaça

Discussão de Chiquinho Feijó com Zeca Diabo

Discussão de Costa Leite com a poetisa baiana

Discussão de dois glosadores

Discussão de dois glosadores: Zé do Bode e Chico Pança

Discussão de Engole-Cobra e Pinga-Fogo

Discussão de José Costa Leite com Apolonio Alves dos Santos

Discussão de José Costa Leite com Cleydson Monteiro

Discussão de Rodolfo Cavalcante com José Costa Leite

Discussão de um poeta com uma mulher sem dono

Discussão de um poeta com uma negra da Bahia

Dois glosadores do copo no Sertão de Bodocó

Dois matutos conversando na Fazenda do Tomaz

Eduardo e Magalona: sofrimento, amor, bravura!

Encontro do vendedor de fumo com a velha que vendia tabaco

Encostou a quebradeira

Fatos curiosos da vida do Padre Cícero Romão

História da devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim

História de Jesus e São Pedro; Quem ama mulher casada vive pisando na cova

História de Jesus, o ferreiro e a macaca

História de Jesus, S. Pedro e o homem do arroz

História de três amigos ou o poder do dinheiro

História de Zé Carreiro: (o valentão de Caricé)

História do veadinho encantado: sofrimento, mistério e triunfo

Homenagem ao Professor Eduardo Mattos Portella

Lampião fazendo o diabo chocar um ovo

Lampião, rei do cangaço e a Negra Furacão

Maricota e Zé Bitu ou tira-gosto de moela

Memorial Luiz Gonzaga

Moça beija no escuro pra poder casar ligeiro; Os cães sempre dão latidos quando a caravana passa

Moça bonita não chora pois todo rapaz lhe quer

Mulher doida, moça quente, corno, bicha e sapatão

Mulher é como café quanto mais quente melhor; A maçã doce e gostosa que Eva deu a Adão

Na beira mar é assim

Na casa do homem pobre ninguém sabe quando come

Não há homem que escape da sedução da mulher

Nascimento, vida e morte de Antônio Silvino

Nascimento, vida e morte de Jesus de Nazaré

Nascimento, vida e morte de Lampião: rei do cangaço

No galope beira mar

Nossa Senhora Aparecida: padroeira do Brasil

Nossa Senhora das Dores do Juazeiro do Norte

Nossa Senhora das Dores: suas orações e sua ladainha

O banho da praia

O banho gostoso da beira do mar

O Boi do pé da Cajarana

O boi Tungão misterioso

O cavalo voador ou Julieta e Custódio

O cego e o aleijado

O chamego das meninas e o chifre virando moda

O chifrudo que chorava pra não comer pão com banha

O Chumbrêgo da mocidade pra poder casar ligeiro

O chupa-cabra falado que anda pelo Nordeste

O côco do Boi Tungão

O côco do Pinto Pelado

O conselho da mocidade

O corno valente da Gaia Mole

O debate de Camões com São Saruê

O defunto que foi -enterrado vivo

O desafio de São Nunca com João Grilo

O diabo e o componês

O dicionário do amor

O Dicionário do Amor e Peleja de Ivanildo Vila Nova com Guriatã do Norte

O drama do retirante

O embolador de côco com o diabo

O encontro da velha que vendia tabaco com o matuto que vendia fumo

O encontro de João Grilo com a Donzela Teodora

O encontro de Lampião com a moça que virou porca

O encontro de Lampião com a negra dum peito só

O encontro de Lampião com Antônio Cobra Choca

O encontro de Lampião com Antônio Silvino

O encontro de Lampião com Mãe de Calor de Figo

O encontro de Lampião com Zé Quixabeira

O encontro de Pedro Malazarte com João Grilo e Camões

O encontro de Seu Lunga com a perna cabeluda

O encontro do rapaz que virou bode com a moça que virou cabra

O filho que deu no pai e levantou o cacete pra mãe

O filho que deu no pai e mordeu na cara da mãe

O frevo pernambucano esquenta o sangue da gente

O genro que deu na sogra com uma mão de pilão

O herói João de Calais e a Princesa Constança: heroísmo, traição e aventuras!

O homem é o rei dos animais e a mulher é a rainha da beleza

O homem gosta de mulher e mulher gosta de dinheiro

O homem que era pobre porque não sabia ler; Saudades do meu amor

O homem que foi se enforcar com medo da carestia

O horóscopo dos chifrudos

O lobisomem da Paraíba

O mártir de São Sebastião

O matador de onças

O matuto e o cigano ou as plantas medicinais

O matuto que perdeu os ovos em Caruaru

O matuto que se amigou com uma vaca

O mundo pegando fogo por causa da corrupção

O namoro do minhoco e a minhoca

O namoro e o casamento do cuteu e a cutia

O noivo valente que tinha medo de caranguejeira

O peido que a nêga deu

O perigo dos insetos e o efeito da picada

O periquito de Chiquinha e a rolinha de Jacinto

O pinto pelado do Norte

O pobre homem caipora e o doutor sabe-tudo

O pobre homem sem sorte e o Doutor João Sabe-tudo

O príncipe Zorobabel e a princesa Ivonete

O rapaz de Guabiraba e a moça do Fundão

O rapaz que apanhou das moças por não saber namorar

O rapaz que brigou nu no Engenho Ribeirão

O rapaz que quis pegar no grilo da namorada

O rapaz que virou bode no sertão do Paraná

O rapaz que virou bode porque profanou de Frei Damião

O rei Alexandrino e a rainha Catarina

O sanfoneiro que foi tocar no inferno

O satanás reclamando a corrução de hoje em dia

O sertão, o boi e a sêca

O sonho de Frei Damião com o Padre Cícero

O sonho de Nossa Senhora e a pedra cristalina

O último aviso do Padre Cícero Romão

O valentão de Mogeiro e Sabino de Mossoró

O valentão de Sapé

O valor da honestidade

O valor e o segredo das plantas medicinais

O valor que o chifre tem

O valor que o peido tem

O vaqueiro Julião e a filha do sertanejo: amor, luta e traição

O vaqueiro Zé de Melo e o boi misterioso

Os dez mandamentos, o Pai Nosso e o Credo dos cachaceiros

Os dois peitos de Eva e os dois ovos de Adão

Os milagres divinais do Padre Cícero Romão

Os remédios vegetais na medicina caseira

Os sinais do fim do mundo ou o dia do juízo

Os três cavalos encantados do Reino Monte de Ouro

Peleja de Bandeirinha com Manoel Batista: descrevendo os Estados do Brasil

Peleja de Cachimbinho com Zé Monteiro

Peleja de Cachimbinho com Zé Monteiro: 2º debate

Peleja de Chiquinho Feijó com Joel de Laranjais

Peleja de Costa Leite com Antônio Américo

Peleja de Costa Leite com Dila de Caruaru

Peleja de Costa Leite com Olegário Fernandes

Peleja de Gercina Dalva Pereira com Manoel Amaro de Melo

Peleja de Guriatã de Coqueiro e Côco Dendê da Bahia

Peleja de Ivanildo Vila Nova com Guriatã do Norte

Peleja de Jerônimo do Junqueiro com Zefinha do Chambocão

Peleja de José Alves Sobrinho com Otacílio Batista

Peleja de José Costa com Maria das Dôres

Peleja de José Costa Leite com Antônio Klévisson Viana

Peleja de Manoel Riachão com Maria Roxinha da Bahia

Peleja de Pinto do Monteiro com Louro do Pajéu

Peleja de Severino Pereira com Manoel Xudu

Peleja de Severino Pereira com Manoel Xudu: 2º debate

Peleja de Severino Simeão com Ana Roxinha

Peleja de Silvino Pirauá com Inácio da Catingueira

Peleja de Zé Moela e a Negra dum peito só

Peleja de Zé Pretinho com Manoel Riachão

Peleja de Zé Pretinho com Patativa do Norte

Peleja de Zé Pretinho com Patativa do Norte: (descrevendo galopes beira-mar)

Peleja do cego Aderaldo com Patativa do Assaré

Pobre no fim de semana come pirão sem farinha

Quem fôsse cristão chorava quando Jesus padecia; Deus é quem domina tudo

Quem gosta de um xodó só casa fazendo assim

Quem não bebe também morre, é melhor morrer bebendo

Quem se casa faz um laço pra colocar no pescoço; É triste a gente gostar de quem não gosta da gente

Quem tem mulher tem trabalho

Rogaciano e Dorotéia

Romance de João Comedor, Perna de légua e Torce-coqueiro

Safadeza e carestia ninguém ignora mais

Sandoval e Milena: o rei dos romances

Se é do homem ser chifrudo é muito melhor morrer

Se o cavalo está velho o remédio é capim novo

Ser corno não é pecado, não tem chifres quem não quer

Sertão, folclore e cordel

Sertão, folclore e cordel; A boiada sertaneja

Seu Lunga no Sertão brabo feito matador de onça

Seu Lunga, marinheiro

Só casa fazendo assim; Bebo até tapar com barro e faço pirão de cachaça

Tem alguém sendo chifrado; O dicionário do beijo

Tem corno da ponta fina e corno da ponta grossa

Todo homem fica forte depois que toma viagra

Todo sertanejo vive com fé em Frei Damião; Tudo eu sei ninguém me ensina

Um aviso de Santo Enoque e Santo Elias

Um conselho a mocidade

Um milagre do Padre Cícero ou a menina perdida

Um passeio a São Saruê

Um passeio no escuro

Vai dar povo de novo nos arraiais do São João

Vida e morte de São Simão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s